Este site utiliza cookies para otimizar a sua experiência de navegação.

ACEITO
Clínica Doutor Pinto Coelho

O que é o Glúten?

O glúten é uma mistura de vária proteínas e a principal proteína de armazenamento do grãos de trigo, centeio, esperta e cevada. É devido às características das proteínas do glúten que, quando este se mistura com água, ganha uma consistência mais pegajosa, que dá elasticidade às farinhas que a contêm, como é o caso do pão. As duas principais proteínas presentes no glúten são a gliadina e a glutenina e a maioria dos efeitos adversos que podem surgir são derivados da gliadina.

 

Intolerância e alternativas

A maioria das pessoas é tolerante ao glúten e nesses casos não existe qualquer efeito nocivo associado ao seu consumo, no entanto existem algumas excepções como é o caso da doença celíaca, sensibilidade ao glúten, alergia ao trigo, síndrome do intestino irritado e algumas outras doenças. A percentagem de pessoas com doença celíaca representa cerca de 1% da população mundial mas tem vindo a aumentar e não existe cura para quem sofre de doença celíaca ou tem intolerância ao glúten. A única solução para quem sofre deste tipo de doenças é seguir uma dieta sem glúten, em que todos os alimentos têm menos de 20 ppm desta proteína.

A dieta sem glúten pode ser difícil de seguir ao início, porque é necessário confirmar sempre os rótulos de forma a garantir que não existe a sua presença no produto. No entanto, de forma a facilitar este processo a BRCGS (Brand Reputation Compliance Global Standards), criou o GFCP Global Standard (Gluten Free Certification Program). O GFPC é um programa de certificação voluntária, com o apoio de várias associações internacionais, que permite às marcas que se enquadram nos mandatários do programa serem reconhecidas como gluten free e utilizarem o  respetivo selo. O GFPC é orientado para a certificação da empresa, e não só de um produto. Esta gestão permite uma maior segurança e valor acrescido ao selo, garantindo que não existe contaminação cruzada uma vez que todos os produtos produzidos na fábrica daquela empresa não têm glúten. Este programa aplica-se ao controlo de glúten no processo de fabrico, processamento e também de embalagem de produtos.

 

 

Numa dieta isenta de glúten, a APC (Associação Portuguesa de Celíacos) sugere uma divisão dos alimentos em três categorias - os alimentos permitidos, os alimentos perigosos e os os alimentos proibidos.

Os alimentos permitidos podem ser consumidos livremente por celíacos e esta categoria é constituída por hortícolas, frutas, lacticínios, carne, pescado, ovos, leguminosas, gorduras e óleos.

Os alimentos proibidos são todos aqueles que contêm glúten na sua composição e que não são adequados a esta dieta.

Por último, os alimentos perigosos são aqueles que são processados e têm vários produtos na sua composição, sendo então necessário analisar o rótulo de forma a garantir que não existe uma possível contaminação.

 

Avenida José Malhoa 14
Piso 6
1070-158 Lisboa