Este site utiliza cookies para otimizar a sua experiência de navegação.

ACEITO
Clínica Doutor Pinto Coelho

A Clínica Doutor Pinto Coelho oferece uma abordagem complementar, diferenciada, sustentada cientificamente, às doenças degenerativas.

Assim, doenças degenerativas como a Esclerose Lateral Amiotrófica, Esclerose Múltipla, Doença de Parkinson e Alzheimer, entre outras, que afectam a vida do doente incapacitando-o progressivamente, são abordadas duma forma pluridisciplinar e abrangente, com resultados prometedores e por vezes surpreendentes.

De acordo com a Neurodegenerative Disease Research, doenças neurodegenerativas são condições debilitantes e incuráveis que resultam na denegeração progressiva e/ou morte das células nervosas, causando problemas com o movimento e com o funcionamento cerebral, podendo algumas delas ocasionar demência. 

 

Doenças Degenerativas

De entre as mais conhecidas podemos destacar a Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA), a Esclerose Múltipla, o Alzheimer, o Parkinson e a Doença de Huntington.

Não tendo a investigação científica conseguido compreender até à data a patogénese de muitas destas doenças, e por razões de um caso familiar de ELA, o corpo clínico da Clínica Doutor Pinto Coelho, tem vindo a investigar áreas tão diferentes como:

  1. A inflamação do intestino – tentando eliminá-la restaurando a barreira hemato-encefálica; suportar a mitocôndria – intervindo na sua disfunção;
  2. A disfunção dos nervos e neurónios motores e a sua actuação sobre o denominado stress oxidativo;
  3. A eventual responsabilidade na sua patogénese de algumas toxinas ambientais bem como de microorganismos como bactérias, vírus, fungos e parasitas;
  4. A responsabilidade do stress interno na eclosão deste tipo de doenças.

 

Esclerose Múltipla

A Esclerose Múltipla é uma doença autoimune e inflamatória caracterizada pela destruição da bainha de mielina que isola e protege os neurónios. Manifesta- se através de um largo espectro de sintomas afectando os sentidos, a locomoção e a cognição. 

A investigação científica sugere que tanto fatores genéticos como ambientais contribuem para o desenvolvimento desta doença.

A esclerose múltipla (EM) pode afectar pessoas de todas as idades; contudo a idade média do começo da doença situa- se entre os 20 e os 40 anos.
Os sintomas mais frequentes são habitualmente fadiga, entorpecimento dos membros, problemas de visão, fraqueza muscular, perda de equilíbrio e disfunção da bexiga.

 

Doença de Parkinson

Conhecida como uma doença degenerativa do Sistema Nervoso Central, resultante da depleção de células produtoras de dopamina numa região do cérebro denominada de substância nigra, esta doença a quem James Parkinson, em 1817, deu o nome depois de observar na rua pessoas com uma espécie de tremideira espástica nos seus membros superiores, traduz- se habitualmente por tremores, rigidez muscular, lentidão e dificuldade de movimentos, perturbação do sono, déficit de coordenação, declínio cognitivo e, nos casos avançados, demência, entre os seus portadores.

Investigação científica recente nesta área, tem demonstrado que certos compostos naturais bem como alguns agentes terapêuticos sub- apreciados, podem fazer uso de sinergias para suportar a função mitocondrial, suprimir a inflamação, baixar o stress oxidativo e melhorar significativamente a vida dos doentes de Parkinson.

 

Alzheimer

A doença de Alzheimer, uma doença degenerativa do Sistema Nervoso Central, foi apresentada pela primeira vez no decurso de um congresso na Alemanha em 1906 pelo psiquiatra alemão Aloysius Alzheimer.

Muitas vezes associada à perda de memória, esta dramática forma de demência provoca no seu portador uma degenerescência progressiva de neurónios em várias zonas do seu cérebro, particularmente na região fronto- temporal, bem como uma atrofia da amígdala e do hipocampo, conduzindo a uma perda da capacidade de orientação no tempo e no espaço, de reconhecimento de objetos e de pessoas, de utilização da linguagem, de raciocínio e de reflexão.

Sabendo- se da forte conexão entre inflamação e demência, um regime alimentar bem elaborado, com um índice glicémico baixo e sem glúten, assim como o fornecimento de nutrientes adequados, como o ácido alfa-lipóico, pode ajudar o organismo a baixar os níveis da substância amilóide, ajudando a diminuir a inflamação e consequentemente a demência.

Edifício da Malo Clinic
Av. dos Combatentes, 43
3º Piso
1600-042 Lisboa